24/mai 2011

Vamos ler mais?

Vamos ler mais?

Você gosta de ler? Quantos livros você lê por ano? Você se lembra do primeiro livro que leu na vida? Afinal, para que serve a leitura?

Na semana passada, a revista Veja trouxe como tema da reportagem de capa justamente a leitura. Um dos pontos mais interessantes apontados pela matéria é a refutação daquela premissa que diz de nada valer a leitura de livros como Harry Potter, Crepúsculo ou obras de auto-ajuda. Se esses livros não podem ser considerados exatamente obras-primas, eles servem de porta de entrada para o mundo da literatura. A revista defende que, a partir desses livros, possa se ir “evoluindo”, passando a obras cada vez mais eruditas, à medida que se toma familiaridade com a leitura. A matéria ilustra a tese, mostrando caminhos possíveis a partir das obras citadas. Assim, a partir de Crepúsculo, pode-se facilmente chegar a Crime e Castigo, passando por autores como Edgar Allan Poe e Shakespeare.

Os benefícios da leitura, acho que nem preciso falar. Todo o processo de compreensão do mundo em que vivemos passa pela leitura. Leitores têm visão crítica, leitores têm imaginação. Quem lê está mais preparado para a vida, para o trabalho, o que por si só já seria um estímulo e tanto para ler. Mas, mais que isso, ler é divertido, tanto quanto assistir a um filme ou a uma série de TV. Aliás, muito do que vemos nos filmes e séries de TV vem deles, dos livros.

Vamos Ler Mais?

Então vamos combinar uma coisa, eu e você, sem contar pra mais ninguém? Vamos ler mais? Vamos reservar um tempo para mergulhar na leitura? Vamos desligar a TV, que seja meia hora por dia? Não sejamos exigentes, podemos começar devagar, mas não vamos nos acomodar, eu garanto que vai valer a pena essa viagem. E se bater aquele desânimo, aquela vontade de parar, de no render às pressões e tentações do dia-a-dia, bom, nesse caso teremos um ao outro, eu e você, para dar aquele apoio e seguir em frente.

Respondendo às perguntas que fiz lá no começo, sim, eu adoro ler. Aliás, reza a lenda que, tamanha minha vontade de começar a decifrar o mundo das letras, me alfabetizei sozinho, lá pelos 4 anos, olhando as letrinhas e perguntando aos adultos ao redor. Mas confesso que as tentações da cultura pop, os filmes, as músicas e as séries, às vezes me deixam um pouco longe da leitura. Nunca parei pra contar quantos livros leio em um ano. Mas com certeza é menos do que gostaria, menos até do que a quantidade de livros que chegam a mim. Por isso esse desafio meu e seu vai valer a pena.

Ah, sobre o primeiro livro que li, não me lembro, mas certamente o primeiro livro destinado a adultos que consumi da primeira à última página foi Blecaute, do Marcelo Rubens Paiva, lá pelos 10 anos, acho eu, e o primeiro clássico (e meu favorito até hoje) foi Cem Anos de Solidão do Gabriel Garcia Márquez.

Categoria: Livros, Pensata

Tags:


Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons.
Fósforo. © 2011 www.fosforo.blog.br