29/abr 2011

O Código da Vida [Resenha I]

Saulo Ramos é um respeitado jurista. Fez parte da equipe do presidente Jânio Quadros, foi Consultor-Geral da República e Ministro da Justiça no governo Sarney, e advogou em causas importantes para a história do país. Mais do que isso, Saulo é um excelente contador de histórias. Basta começar a ler seu livro de memórias O Código da Vida (Ed. Planeta, 2007) para entender o porquê. Sob o pretexto de contar um caso que viveu como advogado, o escritor costura uma série de histórias, misturando sua vida pessoal, seu trabalho e importantes fatos que fizeram parte da história recente do Brasil.

Ao contrário do que se espera da escrita de um advogado, a leitura de O Código da Vida é leve e divertida, graças à habilidade de Saulo de emendar as histórias que conta de forma orgânica, quase como se fizessem parte de um bate-papo descontraído.

As controvérsias que cercam o livro são inúmeras. Muitos dos personagens citados não gostaram da forma como foram descritos e desmentiram Saulo após o lançamento da obra. Outros acusam o jurista de excesso de pretensão, se mostrando mais importante do que realmente foi. Polêmicas à parte, O Código da Vida vale cada linha lida, seja pela riqueza dos “causos” contados por Saulo Ramos, seja pela importância dos fatos históricos narrados sob um ponto de vista único, ou seja pela habilidade do autor em prender nossa atenção e querer chegar logo ao fim da quase 500 páginas de narração. E não é esse o objetivo de todo bom livro?

Categoria: Livros, Resenhas

Tags:

0 comentários




Veja nossa política de comentários


Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons.
Fósforo. © 2011 www.fosforo.blog.br